segunda-feira, 15 de maio de 2017

Um convite especial para você!!!


Educadores de Belo Horizonte (MG) visitam o CIEJA Campo Limpo

No último dia 09/05 tivemos a honra de receber em nossa escola educadores de Belo Horizonte (MG) interessados nas práticas do CIEJA Campo Limpo para estabelecerem diálogos na construção  do debate da EJA no município mineiro.


Alunos representaram o CIEJA Campo Limpo no Sarau do COOPERIFA em dia de Poesia no AR!!!

Em dia de poesia no ar, os alunos Matheus, Antônio e Juan visitam Sarau do COOPERIFA e recitam os seus versos autorais. 09/05/2017



Parceria entre CIEJA CL e PROVE (UNIFESP)

O CIEJA Campo Limpo, em parceria com o  PROVE, Programa ligado à Universidade Federal de São Paulo e ao Centro de Estudos Paulista de Psiquiatria, efetiva atividades direcionadas para os jovens da escola.



Educadora do CIEJA Campo Limpo participa de discussão com Tião Rocha



Educadora do CIEJA Campo Limpo Diana, participa de Café Literário da Brechoteca popular com convidado especial, Tião Rocha, dialogando sobre novas formas de interagir com o outro... e novos olhares para a educação. 





FESTIVAL DO CAPÃO



Com shows de jazz, rap, rodas de conversa, oficinas de dança, fanzine, horta, reciclagem, escuta criativa e gastronomia periférica, primeiro Festival do Capão atraiu cerca de 500 jovens
  
São Paulo – No início do século 19, o Capão Redondo era lembrado como a região de São Paulo que tinha um enorme aglomerado de araucárias, formando uma ilha de árvores (um capão) de 50 quilômetros de diâmetro em meio à paisagem rural – daí o nome do bairro. Hoje, a lembrança de muitos paulistanos sobre o distrito ainda remete a questões de violência, falta de moradia digna e ausência de equipamentos sociais para dar conta de uma população de cerca de 300 mil habitantes. 
Entretanto, na última quinta-feira (11), quando aconteceu o primeiro Festival do Capão, o bairro se apresentou de um modo muito diferente: como um polo de manifestações culturais, em plena tarde ensolarada de São Paulo. O evento – que teve o apoio da Oxfam Brasil e foi realizado em parceria com a TV DOC e a Fábrica de Criatividade – proporcionou troca de experiências políticas e sociais entre os coletivos de juventude organizados da zona sul de São Paulo. Houve shows de jazz, rap, rodas de conversa, oficinas de dança, fanzine, horta, reciclagem, escuta criativa e gastronomia periférica.
“É importante combater a desigualdade urbana dando espaço às lideranças da comunidade para mostrarem o que é feito de bom naqueles locais. Essa foi a proposta do Festival do Capão”, explica Tauá Pires, assessora política da Oxfam Brasil. “A história da cidade de São Paulo não pode deixar ser contada sem a inclusão da periferia.”
Para Eliane Dias – diretora da Boogie Naipe, que administra shows e eventos do grupo Racionais MC’s e de Mano Brown –, as mulheres que participam desse tipo de evento são aquelas que não aceitam o “não” como resposta. “Se eu aceitasse o ‘não’, nem teria nascido, pois sou filha de mãe solteira pobre, negra, que teve de viver na rua e sofreu muito para crescer”, disse ela, que também é coordenadora do S.O.S. Racismo, programa antirracismo da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.
Eliane participou da roda de conversa “Juventude, Gênero e Identidade”, moderada por Karol Oliveira, ao lado de Jenyffer Nascimento, da revista Fala Guerreira. “Na minha época, tinha de usar calça larga e camiseta para ser uma menina aceita na visão machista do hip-hop. Hoje não precisamos mais nos masculinizar, é lindo sermos da forma como somos, sem se prender a clichês ou afetar nossa autoestima”, disse Jenyffer, que é negra, escritora e militante feminista no Coletivo Rosas.
O debate de “Literatura Marginal” teve a participação de Isaac Souza, do coletivo Núcleo de Jovens Políticos; Bruno Capão, da Associação Lado B; e Daniel Farias, da Literatura Marginal. Os três autores explicaram como a proposta, até pouco tempo vista como subversiva, consegue chegar mais facilmente à juventude porque usa sua linguagem, com palavrões e gírias, para narrar o dia a dia da comunidade.
“É uma literatura que, de certa forma, dá voz a essa população, mostra sua realidade”, explicou Isaac Souza. “Se você acha que não gosta de ler, pelo menos, carregue um livro na sua mochila. Uma hora você vai querer saber o que está escrito lá dentro, e a aventura vai começar”, disse Bruno Capão. “Sua vida é um livro, mano. Então, trate de ler para aprender como escrevê-la direito", ponderou Daniel Farias. 
Oficinas de horta, reciclagem, forró, jazz, danças urbanas, escuta criativa, gastronomia periférica e shows de encerramento completaram as atrações do Primeiro Festival do Capão. 

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Atividade do SAAI - DI no Parque Santo Dias

Hoje tivermos o prazer de realizar atividades de caminhada e lanche coletivo no Parque Santo Dias com os alunos da professora Samara em parceria com os Professores Marcos e a Fernanda. Parabéns!


sexta-feira, 5 de maio de 2017

CIEJA Campo Limpo no Canal TV Futura

Situada no Capão Redondo, uma das regiões mais perigosas da maior cidade da América Latina, o CIEJA Campo Limpo trouxe um exímio incentivo de que é possível mudar a educação no Brasil e que a escola pode ser o melhor lugar do mundo. Com um público de 1300 alunos e alunas, o CIEJA – Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos tem iniciativas para todos os perfis, mostrando que a diversidade é algo incrível para se trabalhar, principalmente no âmbito da educação.





Sobre a série JANELAS DE INOVAÇÃO - Canal FUTURA

Uma viagem pelo Brasil revelando as iniciativas educacionais mais inspiradoras do país. Este é o documentário Janelas de Inovação.
Cada um de seus 40 episódios, apresentados pela escritora e filósofa Viviane Mosé, mostra como a criatividade e o olhar individualizado podem transformar diferentes realidades e ainda servirem de estímulo para novas experiências de educação.
Janelas de Inovação é um projeto em parceria do Canal Futura e a Fundação Telefônica Vivo e foi produzido e dirigido por jovens que participaram dos projetos Geração Futura Universidades Parceiras e Curtas Universitários.
“Este projeto reforça o compromisso de promover o protagonismo de professores, alunos e da comunidade por meio da formação de educadores, criação de conteúdos e conexão entre famílias, comunidade e escola”, explica Americo Mattar, diretor presidente da Fundação Telefônica Vivo.

domingo, 16 de abril de 2017

Café Terapêutico - festa de 9 anos

A festa de 9 anos está chegando.
Com muito orgulho estamos caminhando para a grande festa de 9 anos do projeto Café Terapêutico - Grupo de pais, alunos e amigos em busca de uma sociedade realmente inclusiva.

 
Nesta edição teremos como tema principal
" O fazer inclusivo ".

Mostraremos experiências de pessoas que tomaram iniciativas e se tornaram protagonistas de suas histórias com relação à inclusão de seus filhos, amigos e parentes.
 
Pessoas que se prontificam a ajudar o próximo  a melhorar e a fazer de suas experiências pessoais um exemplo de inclusão.
 
 
Presenças confirmadas:
 
Amiga e parceira do CIEJA Campo Limpo, é jornalista, pós graduada em ciência política, artista ( música, teatro, dança ).

Leonora frequentemente participa em programas de televisão em debates com celebridades e personagens do mundo da política sobre assuntos diversos .

É ativista da causa GLBT.

Realiza ações solidárias variadas com o intuito de melhorar a condição social de pessoas e grupos em  situação de vulnerabilidade.

Faz de sua história de vida e realização profissional um belo exemplo de não exclusão.



 
 

   A Galera do Click é um projeto que, há 4 anos, ensina fotografia para jovens com síndrome de Down. A inspiração para juntar essa galera na arte de conservar um momento em uma imagem veio de um jovem chamado Felipe, de 24 anos. ‘Fê’ é o filho do meio da fotógrafa Sandra Reis e é também o primeiro judoca faixa preta com síndrome de Down de São Paulo. “Felipe foi criado na ‘utopia da inclusão’: escola regular, academia de treino regular, mas quando chegava o final de semana e os amigos iam se divertir, não havia convites para ‘diferentes’ como ele”, conta Sandra. Como ela passava os finais de semana trabalhando, decidiu ensiná-lo a fotografar, para que pudesse acompanhá-la nos eventos.
Nesses lugares públicos, pais e mães de outros jovens com Down se surpreendiam com a habilidade demonstrada por Felipe ao manejar a câmera. “Basta ter alguém que os ensine”, explicava Sandra. Foi então que ela teve um “click” e decidiu dar aulas para esse público em seu estúdio. Ao mesmo tempo que “empoderava” jovens com a mesma condição genética de seu filho, ela ampliava a todos a possibilidade de ter um hobbie ou conhecimento a mais que poderia se tornar uma profissão, e amizades para se sentirem, de fato, incluídos.

O primeiro trabalho foi um calendário do ano de 2013,com os próprios alunos posando nas fotos. Eram 20 ao todo e mais um bebezinho. Hoje 69 jovens alunos compõem a simpática Galera do Click e já preparam o Calendário 2018. Sandra trabalha de forma voluntária, e devido ao grande número de alunos, teve a necessidade de estruturar melhor o espaços como banheiros, comprar novos equipamentos, remunerar monitores e dar sustentabilidade ao projeto. “A fim de captar recursos estruturei uma ONG através da qual buscarei eventos empresariais para palestras e, principalmente, para que a Galera do Click possa fotografar profissionalmente e mostrar o bonito trabalho que fazem.
 
 
Rodrigo Del Arc


Rodrigo Louis 'Del Arc' Fernandes, amigo e parceiro do CIEJA Campo Limpo com participações no Café Terapêutico musical\ motivacional, mais conhecido como Rodrigo Del Arc, é um cantor e compositor, artista licenciado, ator, modelo, locutor, filantrópico e produtor artístico cujo estilo incorpora a mistura de elementos rítmicos brasileiros com o rock, o pop e a bossa nova em canções predominantemente românticas.
Lançou dois discos que foram licenciados prensados e distribuídos no Japão e na Coréia do Sul. Em 2010 a música “A Place To Remind” foi incluída na trilha do K. Drama “Athena 2” série reprisada no Japão, em 2011.
Na televisão aberta, participou em programas pela MTV Brasil e atua em filmes publicitários veiculados também em muitos países tornando seu rosto reconhecível publicamente.


CRESCENDO JUNTOS





 
 O grupo de mães se uniu pela inclusão de seus filhos e assim nasceu  o "Crescendo Juntos" .
Descobriram que não existe terapia melhor do que levarem seus filhos para passear em parques,  teatros, cinemas, shoppings, entre outros para que eles tenham contato com pessoas
diferentes e iguais a eles..
O objetivo do grupo " Crescendo Juntos " é a interação com a sociedade quebrando assim paradigmas e preconceitos mostrando que é possível uma convivência saudável das crianças
com ou sem síndrome de down .
 
Adriana Marques dos Santos
 
 
Amiga e ex aluna do CIEJA Campo Limpo, participa de eventos variados sobre inclusão ( feiras, plenárias, debates, buscando assim estar sempre atualizada sobre as questões que dizem respeito à inclusão de pessoas com deficiência.
Atualmente descobriu o prazer e os benefícios da prática esportiva para pessoas com deficiência.
 
 
 
.


Café Terapêutico : A festa de 9 anos está chegando.

Café Terapêutico : A festa de 9 anos está chegando.: Com muito orgulho estamos caminhando para a grande festa de 9 anos do projeto Café Terapêutico - Grupo de pais, alunos e amigos em busca de...

segunda-feira, 10 de abril de 2017

CURSO DE LIBRAS NO CIEJA CAMPO LIMPO (Abril à Junho)



Olhares de atenção para os jovens



Com a crescente entrada dos jovens na educação de jovens e adultos, principalmente no CIEJA Campo Limpo, resolvemos desde o ano de 2015 ter um olhar diferenciado para esse público e suas demandas. Desde o ano passado professores (as) se empenham em propor atividades e diálogos  com o jovens, resultando neste ano em conversas que resultarão, num primeiro momento, em um evento pensado, proposto e elaborado pelos jovens no dia 20-04... por isso aguardem os resultados!!!!

CENPEC - Entrevista Alfabetizadora do CIEJA Campo Limpo



Em reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo CIEJA Campo Limpo, o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC) se debruçou nas atividades desenvolvidas pela escola e realizou algumas  entrevistas com a alfabetizadora Márcia Balieiro para compreender de maneira abrangente como se dá o processo de alfabetização por aqui. Muito obrigado Márcia por nos representar e ao CENPEC por acreditar em nosso trabalho.


Maiores informações do CENPEC


Vinte e oito anos em defesa da educação. O Cenpec – Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, criada em 1987.
Tem como objetivos o desenvolvimento de projetos, pesquisas e metodologias voltadas à melhoria da qualidade da educação pública e a incidência no debate público.
O Cenpec atua em parceria com a escola pública, espaços educativos de caráter público e iniciativas destinadas ao enfrentamento das desigualdades.



sexta-feira, 7 de abril de 2017

Martinha e Naloana Lima do Grupo Clariô de teatro no CIEJA Campo Limpo

No último dia 23/03/2017 tivemos a honra de ter em nossa escola duas grandes atrizes da cultura periférica, Martinha e Naloana Lima do Grupo Clariô de Teatro, contando um pouco mais de suas trajetórias e anseios de mulheres negras periféricas!!!








quarta-feira, 5 de abril de 2017

Doutorado sobre o CIEJA Campo Limpo - 2017

Jonson Ney Dias da Silva Professor da UESB (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia) e Doutorando do programa de Pós-Graduação  em Educação Matemática da UNESP de Rio Claro  sob a orientação da Professora Ana Paula dos Santos Malheiros, faz sua pesquisa sobre como os professores de matemática dialogam com as tecnologias na educação de jovens e adultos. O pesquisador ficou conosco no mês de março para vivenciar a proposta do CIEJA Campo Limpo. 

 



segunda-feira, 3 de abril de 2017

1ª Aula pública do CIEJA Campo Limpo no Metrô Capão Redondo 30/03/2017



Na última quinta-feira dia 30/03/2017, a comunidade do CIEJA Campo Limpo fez uma atividade inédita nos seus 19 anos de atuação no Capão Redondo, passeata com música e gritos de ordem em todos os períodos em direção ao pátio do Metrô Capão Redondo para a primeira aula pública de nossa escola.
Como preparativo para esta atividade no mês de Março, nas salas,  toda a comunidade do CIEJA Campo Limpo se debruçou sobre a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista e  a proposta de Terceirização, para na aula pública expor para a população todo o conhecimento adquirido com a pesquisa. Teve de tudo, cartazes,  dramatização, rap, leitura, protesto, enfim... foi enriquecedor!!!





Vídeo feito pela TV DOC Capão, que generosamente cobriu o evento, muito obrigado pela parceria!!!

quarta-feira, 29 de março de 2017

Teatro da Turma TRANSFORMAÇÃO (CH)

Esta quinta-feira já começou com força, alunos e professores da turma Transformação (CH) apresentam para a escola peça de teatro contando a história do SUS (sistema único de saúde), suas complicações, assim como a problemática atual da previdência. 

terça-feira, 28 de março de 2017

Espaço Psicoarte no CIEJA Campo Limpo

O CIEJA Campo Limpo com a vinda da Professora de artes Kelly Almeida, ganhou além de uma profissional formada em psicopedagogia, sua disposição em propor um espaço em nossa unidade para pensar questões pertinentes ao assunto, auxiliando alunos na superação das suas dificuldades. 

Mais informações do projeto: 


CIEJA – CL - ESPAÇO PSICOARTE
PSICOPEDAGOGIA E ARTETERAPIA

FRASE GERADORA DO PROJETO:
 “Não sabemos por qual motivo um educando permanece tanto tempo em um agrupamento”.
Psicopedagogia/arteterapia
 Com base neste questionamento foi pensado um trabalho psicopedagógico e arteterapêutico, voltado para a educação de Jovens e Adultos, com o intuito de trabalhar individualmente com os educandos que apresentem dificuldades de aprendizagem, transtornos, deficiências ou bloqueios, oferecendo-lhes um olhar diferenciado.

 Público Alvo
Educandos que permanecem no mesmo módulo por vários anos e não apresentam o desenvolvimento escolar esperado.


 
 

Visita dos professores do CIEJA CL ao CIEJA Parelheiros

Tivemos a oportunidade de fazer uma visita ao CIEJA Parelheiros para troca de informações e experiências que nos ajudem a identificar melhorias em nossas atividades e o conhecimento de parceiros na luta.



 

sexta-feira, 24 de março de 2017

Atividades extras edificantes!!!

Nesta última quinta-feira tivemos a oportunidade de ter um dia diferenciado em nossa escola, na parte da manhã tivemos a atriz Martinha do Grupo Clariô de teatro, assim como sua Companheira de grupo Naloana Lima na parte da tarde. Ambas contaram como iniciaram no teatro, o que é ser mulher negra na periferia e como visualizam a conjuntura atual para as mulheres.

Martinha do Grupo Clariô de Teatro


Naloana Lima do Grupo Clariô de Teatro 

Na parte da noite, levamos um  ônibus com nossos alunos para assistirem a peça "Farinha com Açucar" no Sesc Campo Limpo, enquanto na escola tivemos a inauguração do nosso CINE-CIEJA!!!




Exposição do DOC "Nós, Carolinas" na inauguração do CINE-CIEJA

Visita do SENAC JABAQUARA

Professores e representantes do SENAC-Jabaquara, estiveram em nossa unidade para saber como funciona o processo de educação diferenciada proporcionado pelo CIEJA Campo Limpo, para trocarmos experiências e parcerias.

 
REGISTRO DA VISITA, PELA EQUIPE DO SENAC-JABAQUARA


Aula inaugural do Cursinho Popular do Capão!


No último sábado tivemos em nossa escola, a aula inaugural do Cursinho Popular do Capão, com o objetivo de fazer os alunos eliminarem o ensino médio e também a comunidade como um todo se preparar para o ENEM através de aulas diferenciadas com professores voluntários.